Renato Constantino assume a presidência da FADF no lugar de Luiz Caland

Por Américo Teixeira Junior

Luiz Caland completaria o atual mandato em junho de 2021 – Foto CBA

Só R$ 10/mês para colaborar com o Diário Motorsport independente e investigativo

A Federação de Automobilismo do Distrito Federal (FADF) tem novo presidente. Em assembleia realizada em 23 de dezembro, Luiz Caland renunciou ao cargo, em caráter definitivo, e em seu lugar assume o vice-presidente Renato Constantino.

“Em reunião com os membros da FADF e meus advogados, resolvi convocar assembleia e me afastar para não prejudicar nosso automobilismo no DF. Vou agora focar em resolver o dano que foi causado à minha pessoa. Sempre lutei e sempre lutarei por um automobilismo melhor”, comunicou o dirigente.

Essa troca de comando tem potencial para influenciar a eleição da Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA). O agora ex-presidente é declaradamente apoiador de Milton Sperafico, inclusive figurando como 1º vice-presidente na primeira chapa de Oposição. Constantino, por seu turno, é muito próximo de Nelson Piquet, que é aliado de Giovanni Guerra e opositor da gestão Caland. O tricampeão é, também, presidente de honra da FADF.

Independentemente de preferências dos respectivos grupos internos, a FADF fecha 2020 com o carimbo de “devedora” em sua ficha, pois tem débitos não quitados junto à CBA. Caso a eleição fosse hoje, portanto, não teria direito a voto.

Quando a CBA iniciou o recesso de Natal, a entidade distrital tinha pendências de R$ 147.120,00. “Mas como não temos os recursos para pagar e quitar a dívida na CBA e, também, não recebemos da entidade a resposta de parcelamento, tudo isso virou história de uma Federação sem direito a voto”, explicou Constantino, acrescentando que não se trata de uma dívida contraída na gestão Caland, mas que vem desde a anterior, de Napoleão Ribeiro, e agravada com a pandemia. Dessa forma, somente a quitação antes do dia 15 de janeiro permitirá o exercício do voto.

O dirigente explicou, ainda, que a FADF viveu dois cenários distintos diante da eleição na CBA. Um deles era majoritariamente pró-Sperafico, dada a presença de Caland na chapa do ex-piloto paranaense. Já o outro, potencializado em razão da renúncia, tem caráter pró-Guerra, por força da direção tomada por Nelson Piquet. Entretanto, o agora presidente em exercício optou por se manter prudente. Prefere, primeiro, tomar ciência da situação da entidade, incluindo a questão da dívida, a se posicionar oficialmente.

Renato Constantino (7) é piloto do Turismo Nacional – Foto Cleocinei Zonta (Viamão, RS, 30.11.2020)

Insustentável

A situação de Caland ficou insustentável após ser o pivô do pedido de impugnação à chapa de Milton Sperafico, por parte de 11 federações apoiadores de Giovanni Guerra.

O motivo alegado é uma condenação contra o então candidato à 1ª vice-presidência, que o tornaria inelegível até 2022. O artigo 23 da Lei Pelé impõe “inelegibilidade, por 10 anos, de seus dirigentes para desempenho de cargos e funções eletivas ou de livre nomeação de condenados por crime doloso em sentença definitiva“. De fato, Caland tentou se candidatar a deputado federal por Goiás nas eleições de 2018, mas foi impedido pela justiça eleitoral. Há também menção a outro processo, deste ano, que inclui prisão em flagrante.

Caland explicou que “um funcionário que fazia manutenção em equipamentos, comprou um aparelho para retirar peças, mas [havia] uma restrição de roubo; fui responsabilizado por ser o proprietário da empresa“. Após decisão em última instância e sem haver mais chance de recorrer (o chamado trânsito em julgado), foi condenado a três anos de prisão, mas o cumprimento da pena foi revertido em horas de prestação de serviço à comunidade. “Tive um indulto pleno do caso“, acrescentou.

Na ocasião, Sperafico se indignou. “Na outra eleição [2017] perdi, sai bem quieto, dei os parabéns para o Dadai [Waldner Bernardo, o eleito], mas agora eles [chapa de situação] passaram dos limites“. E prometeu: “vamos até as últimas consequências“. Dias depois, em substituição a Caland, oficializou o nome de Roberto Vieira Saraiva como candidato à primeira vice-presidência.


Capa/Destaque – Renato Constantino, presidente em exercício da FADF – Foto Cleocinei Zonta (Viamão, RS, 30.11.2020)

Acompanhe o Diário Motorsport no Youtube Twitter  Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here