A Dra. Fernanda Andrade de Souza Risden, cujo pai e irmão estão presos, também é acusada de integrar um grupo que teria lesado os cofres públicos do Rio de Janeiro em mais de R$ 9,1 milhões

Por Américo Teixeira Jr.

Há um segundo elo entre o automobilismo brasileiro e a denúncia do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) contra membros do gestor hospitalar Instituto dos Lagos Rio. Após Bia Figueiredo ser citada como beneficiária do suposto esquema fraudulento, o Diário Motorsport pôde saber que a investigada Fernanda Andrade de Souza Risten é auditora do Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Automobilismo, órgão que julga os casos no âmbito da Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA).

Diferentemente do que ocorre com a esportista, a advogada teria participação direta no desvio de verba, segundo o MPRJ. É uma das 12 pessoas denunciadas na operação Pagão, deflagrada quinta-feira (25) no Rio de Janeiro e São Paulo, com o objetivo de cumprir, entre outros, sete mandados de prisão.

Pai de Fernanda e sogro de Bia, o empresário Juracy Batista de Souza Filho é apontado como líder do esquema e está preso, assim como seu filho, Fábio Figueiredo Andrade de Souza, esposo da pilota de Stock Car. A indicação para que a Dra. Fernanda ocupasse o cargo de auditora partiu da Associação Brasileira de Pilotos do Automobilismo (ABPA).

Posição da CBA

Consultada pela reportagem, a CBA assim se pronunciou em comunicado oficial neste sábado (27):

Em face às informações que vieram a público sobre a Operação Pagão, do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), a Confederação Brasileira de Automobilismo tem o seguinte posicionamento:

1) Considera o episódio lastimável e inaceitável, sobretudo quando se trata de verba destinada à saúde pública, deseja que tudo seja apurado e esclarecido e que aqueles que comprovadamente cometeram tais crimes sejam punidos de forma severa e exemplar;

2) Lamenta em especial que uma investigação de tal relevância, ainda que de forma lateral, tenha perpassado pelo universo do automobilismo;

3) Esclarece que o STJD do Automobilismo, conforme regulamentação da Constituição Brasileira, por meio da Lei 9.615 (Lei Pelé), configura-se como órgão independente e autônomo e que se constitui de auditores indicados por algumas entidades, dentre elas a OAB, representantes dos pilotos (no caso a Associação Brasileira de Pilotos de Automobilismo-ABPA) e a própria CBA;

4) Informa que a Dra. Fernanda Andrade de Souza Risden, apresentada como um dos denunciados na Operação Pagão, atua como auditora no STJD do Automobilismo por meio de indicação da ABPA.

Felipe Giaffone (ABPA) manifestou surpresa com o ocorrido e afirmou que entidade se posicionará oficialmente nas próximas horas.

Capa/Destaque: Bia Figueiredo e o marido Fábio, ladeados por membros da família Souza
Foto Reprodução www.caras.uol.com.br

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here