A média diária está na casa dos 570 testes

Por Américo Teixeira Junior

O mexicano Sergio Pérez foi o primeiro e único piloto de Fórmula 1, até aqui, a ser contaminado com o SARC-CoV-2, mais conhecido como novo coronavírus, o causador da Covid-19 – Foto Glenn Dunbar/Motorsport Images/Racing Point (Montmeló, ESP, 28.02.2020)

Tem apresentado alto índice de eficiência a “bolha” criada pelo Liberty Media para proteger a Fórmula 1. Entre 26 de junho e ontem (6), foram feitos 24.092 testes em pilotos, membros de equipes e demais profissionais envolvidos com o Mundial. Quatro dos testes apontaram positivo. Dois foram referentes ao piloto Sergio Perez, enquanto os demais não tiveram identidades reveladas

O teste utilizado na Fórmula 1 é RT-PCR (reverse-transcriptase polymerase chain reaction) ou teste molecular, que “pesquisa a presença do Ácido ribonucleico (RNA) viral, que é o material genético do vírus SARS-CoV-2 e que dura cerca de duas horas para ser executados em estrutura de laboratório”, segundo o pesquisador Zilton Vasconcelos, do Laboratório de Alta Complexidade do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF), da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Período de TestagemLocal da TestagemTestes RealizadosTestes Positivos
31.07 a 06.08Silverstone51271
24.07 a 30.07Silverstone39091
17.07 a 23.07Diversos14610
10.07 a 16.07Hungaroring49972
03.07 a 09.07Red Bull Ring45660
26.06 a 02.07Red Bull Ring40320
TOTAIS240924

O alemão Nico Hulkenberg é o substituto de Sergio Pérez na Racing Point – Foto Glenn Dunbar/Motorsport Images/Racing Point (Silverstone, ING, 07.08.2020)


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here