Barcelona F1 Test 26/02-01/03/15Por Americo Teixeira Jr. – Não está sendo fácil para Felipe Nasr o final de semana do Grande Prêmio da Austrália, prova que abre neste domingo a temporada 2015 de Fórmula 1. Como se não bastasse a responsabilidade de estrear como titular na mais importante categoria do automobilismo mundial, tem a confusão jurídica da Sauber a atrapalhar esse momento que, para o brasiliense de 22 anos, é o mais importante de sua carreira até aqui.

Impedido de andar no primeiro treino, sua atividade na sexta-feira se resumiu às 33 voltas que completou na segunda sessão de treinos livres. Acabou sendo um mal menor, pois o processo movido por Giedo van der Garde contra a Sauber poderia ter mantido os C34 o dia inteiro nos boxes. Não foi o melhor dos mundos mas, enquanto pôde, aproveitou. Somente Carlos Sainz e Romain Grosjean andaram mais do que ele no período da tarde.

Mas se a confusão que reina na Sauber poderia tirar do eixo qualquer novato, para Felipe Nasr tem o peso de aprendizado e não deve causar estragos. Isso porque ele tem uma vantagem, que é a personalidade forte. Apesar de jovem, não é nenhum bobão, não tem o rei na barriga e muito menos se acha o novo Senna. Ele tem, sim, a vantagem de ter os pés no chão. Aprendeu isso em casa, na família. Desde cedo soube que nada cai do céu e que um rostinho bonito não faz milagres. Tem de ralar!

E se tem alguém que rala desde sempre é Felipe Nasr. Ele sabe que, na prática, nada do que ele fez até aqui terá valor daqui para a frente. A conta zerou e a reconstrução só está começando. Por tudo isso, ele é o primeiro a admitir que há de se avançar, tanto ele quanto o carro. E aposto que não é um discurso vazio.

 Fotos Sauber Media

1 COMENTÁRIO

  1. Espero que o nosso ‘novo’ Felipe tenha mesmo os pés no chão, mas que acima de tudo, tenha sorte, muita sorte. Sabemos que ele é muito bom piloto, mas atualmente nem tudo na F-1 é apenas talento, foi-se a época. Mas mesmo que ainda assim fosse, seria difícil guiar um carro com potencial de ganhar corridas e/ou campeonatos diante de tantos ótimos pilotos que a categoria tem.

    Espero que a Sauber se livre desta confusão para voltar a ser uma boa equipe para um brasileiro e reveladora de ótimos nomes como sempre foi, e que assim dê o suporte que o Nasr precisa, não só para o bem do próprio Felipe como da equipe também…

    Acima de qualquer outra coisa, desejo sorte ao Felipe, pois na F-1, isto conta, e muito!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here