124898
Autódromo Municipal José Carlos Pace, no bairro paulistano de Interlagos (Foto PMSP)

Por Américo Teixeira Junior – Os atritos entre Fórmula Truck e SP Turis ganharam novos contornos de ontem para hoje. A direção da empresa de economia mista, que administra o Autódromo Municipal José Carlos Pace, rebateu as acusações formuladas pela presidenta Neusa Navarro Félix e responsabilizou a CBA pela orientação para não acolhimento do pedido da categoria de caminhões. Tal afirmação gerou um desmentido veemente do presidente da CBA, Cleyton Piunteiro, que, “desapontado com a SP Turis”, está exigindo retratação por escrito.

Essa confusão toda começou ainda no ano passado, quando Fórmula Truck e Stock Car pediram os dias 4, 5 e 6 de dezembro para a realização de suas respectivas etapas finais, em Interlagos. O pedido da Vicar foi encaminhado em setembro, incluindo também os fins de semana de 29 de novembro e 13 de dezembro. Já a Truck o fez cerca de um mês depois.

De fato, D. Neusa confirmou que sua solicitação foi encaminhada na época informada, mas reiterou que “em outubro de 2014 [foi] aprovada nossa data pela SP Turis”. Justificou seu protesto pelo fato de o período ter sido posteriormente negado em razão de um show musical promovido pela T4F, empresa de entretenimento que é proprietária da Vicar, que organiza a Stock Car.

20121218123217_Pinteiro_II
Cleyton Pinteiro, presidente da CBA (Foto Reprodução Grande Prêmio)

Protesto da CBA

Em nota, a administradora de Interlagos foi taxativa: “Em nenhum momento a SP Turis aprovou esta solicitação [da Truck]”. A reportagem foi estimulada a buscar junto a Truck alguma correspondência oficial da SP Turis confirmando a data [assim o fizemos e, de fato, não há registro de uma resposta oficial aos e-mail e cartas partidas dos escritórios da Truck em Santos, SP]. Acrescentou, ainda a nota, que a “presidência da CBA” foi consultada por força desse conflito de datas. “A orientação da CBA foi que as datas conflitantes seriam atribuídas à Vicar, que já costumava organizar a etapa da Stock Car no final do ano, diferentemente da Fórmula Truck”.

Essa informação da SP Turis contradisse o que foi dito anteriormente ao Diário Motorsport pelo diretor da CBA, Waldner Bernardo. O dirigente afirmou que “a CBA não tem conhecimento de nenhum acordo entre Vicar e SP Turis“, da mesma forma que a CBA não é responsável pelos acordos feitos pela SP Turis.

paulo_gomes_foto_divulgacao1
Paulo Gomes, ex-campeão da Stock Car e diretor de marketing da CBA (Foto Vinícius Nunes/Arquivo revista Motorsport Brasil)

Novamente consultada pelo Diário Motorsport, a reação da CBA foi imediata e de revolta.“Eu nunca fui consultado e muito menos dei essa orientação”, protestou Cleyton Pinteiro. “A SP Turis vai ter de desmentir isso por escrito, sei lá, alguma coisa tem de ser feita porque nada disso é verdade”, reclamou o presidente, que teve uma reunião com responsáveis da empresa, mas para tratar de outros assunto.

Eu e o Paulo Gomes [ex-piloto e diretor de marketing da CBA] estivemos na SP Turis com o João Mihalik [Gerente técnico-desportivo do Autódromo de Interlagos] para tratar da utilização do autódromo, mesmo sem os boxes, pela escolas de pilotagem e corridas do campeonato paulista. Foi uma visita institucional para tratar de um assunto grave, pois tinha gente passando fome com o autódromo fechado”, detalhou Pinteiro.

“Desprovida de lógica”

A grande revolta da comunidade da Fórmula Truck é que, diante dos três finais de semana sob a alçada do grupo do qual faz parte a Vicar (e com os devidos contratos assinados e taxas recolhidas), a categoria buscou um entendimento para promover um evento conjunto com o Brasileiro de Marcas, visto constar tal disputa no calendário da CBA. Para tanto, teve a ajuda da própria entidade no sentido de equacionar a questão. Foi quando a presidenta ficou sabendo do show musical.

A SP Turis esclareceu ainda que “desde o início de 2015 a organização da Fórmula Truck já sabia e havia sido comunicada sobre a indisponibilidade da data”, em que pese D. Neusa ter declarado que “sequer nos foi apresentada qualquer justificativa plausível”.

A empresária confirmou que lhe foi oferecida a possibilidade de promover a corrida de caminhões nos dias 19 e 20 de dezembro, desde que coordenasse o início das montagens com a Vicar. Mas tal oferta foi “imensuravelmente desprovida de qualquer bom censo e lógica”, tendo em vista esse período ser no fim de semana seguinte ao de encerramento da Stock Car e demais categorias promovidas pela Vicar. Em função disso, tranferiu o evento para Londrina.

 

Compartilhar

1 COMENTÁRIO

  1. Estamos, decididamente, jogado as traças quando leio uma matéria como a sua onde um presidente diz que ira solicitar uma retratação por escrito da ST -Turis, quando na realidade se fosse um presidente com letras maiúsculas (PRESIDENTE), não estaria preocupado com desmentidos ou RETRATAÇÕES mas sim agitando sua MAQUINA ADMINISTRATIVA/JURIDICA PARA INGRESSAR JUNTO AO MINISTERIO PUBLICO PARA FAZER VALER O “DUVIDOSO” CONTRATO ASSINADO ENTRE A PREFEITURA E A SP TURISMO, afinal cada um dos promotores que restaram pagam a CBA sua inclusão no calendário cabendo a CBA fazer valer cumprir os mesmos, se socorrendo de todos os meios legais administrativos e jurídicos para em defesa dos promotores a garantia da execução de seus eventos e aos poucos pilotos que ainda teimam em participar de eventos no Brasil, alguns deles correndo em até 3 modalidades (stock, marcas, endurance, etc.), pelo menos para fazer valer a taxa que é cobrada independentemente de seu histórico nas expedições de carteiras SUPER ALGUMA COISA. . Parabéns Antônio Hermann, Washington Bezerra e seus convidados que estão abrindo um caminho opcional e muito recomendável para os pilotos que querem correr gastando menos e com mais divulgação. PARABENS AO CACA PELO RESULTADO OBTIDO NOS EUA CUJO CUSTO BENEFICIO DEVE TER SIDO BEM MAIOR DO PROPROCIONALDO PELA ATUAL CBA.
    CERTA FEITA DISSE QUE NÃO IRIA ADMITIR NINGUEM MAMANDO NAS TETAS DA CBA, MAS ISSO DUROU APENAS 8 ANOS POIS, ENQUANTO VIAJAVA DE CLASSE ECONOMICA MEU SUCESSOR VIAJA DE 1ª CLASSE.
    PAULO ENEAS SCAGLIONE

Muito obrigado por participar. Forte abraço, Americo Teixeira Jr.