Neusa Navarro Félix, presidente da Fórmula Truck (Fotos Orlei Silva/Truck)
Neusa Navarro Félix, presidenta da Fórmula Truck (Fotos Orlei Silva/Truck)

Por Américo Teixeira Junior – A disputa pelas datas referentes ao primeiro fim de semana de dezembro (4 a 6), para utilização do Autódromo Municipal José Carlos Pace, criou uma linha de atrito entre os organizadores da Fórmula Truck e a SP Turis, empresa que administra o circuito do bairro de Interlagos, zona Sul de São Paulo.

Embora o Calendário da Fórmula Truck, até a tarde de hoje, ainda indicasse Interlagos como palco da etapa de encerramento da temporada 2015 e a versão 16 do calendário oficial da CBA corroborasse tal informação, tudo mudou. Ontem, a presidenta da Fórmula Truck, a empresária Neusa Navarro Félix, emitiu um comunicado à comunidade da categoria tranferindo o evento para Londrina (PR), mas na mesma data.

A presidenta explicou que tal solicitação de datas havia sido aprovada pela SP Turis de outubro de 2014, razão pela qual “finalizamos o nosso canlendário e, além de divulgá-lo, também o inserimos em nossos regulamentos”. Ela revelou, porém, que recebeu no início deste ano uma comunicação da empresa a respeito da indisponibilidade da praça esportiva, visto “já existir um compromisso com eles [Vicar e Brasileiro de Marcas]”, segundo D. Neusa.

A promotora, então, buscou novamente a SP Turis propondo um evento conjunto, tarefa para a qual recebeu ajuda. “Eu, pessoalmente tentei costurar um acordo entre a Truck e a Vicar para que as categorias corressem juntas nesta data [4 a 6 de dezembro], já que ambas têm um patrocínio em comum [Petrobras]. Reiteramos que não é a CBA que cuida das datas e dos contratos de locação de Interlagos e sim a SP Turis”, disse Waldner Bernardo, diretor da CBA. Mas esse novo esforço não teve efeito em razão de outra negativa.

Indignados, procuramos novamente a SP Turis em busca de esclarecimentos e soluções, porém, ficamos perplexos ao saber que a data, antes da WEC, depois assegurada para a Fórmula Truck e depois comprometida com o Brasileiro de Marcas, seria então de um show de música eletrônica”, protestou D. Neusa, acrescentando que as datas ficaram a cargo da Time For Fun, dona da Vicar.

Pagou, levou

Em nota, a SP Turis explicou que a questão esteve relacionada a pagamentos. “Por questões jurídicas, a divulgação dos eventos pela administração do Autódromo de Interlagos é feita somente após a ratificação dos termos contratuais, entre os quais está a quitação de todas as parcelas da locação dos espaços”, acrescentando que “a administração do Autódromo somente pode confirmar um evento quando o custo total da locação do espaço é quitado”.

Por intermédio da nota foi possível saber que “a empresa Time For Fun, que atendeu todos os pré-requisitos legais, locou o Autódromo de Interlagos a partir de 30/11 para a realização de dois eventos após a prova de Fórmula 1, e o fez com a devida antecedência perante a outros pedidos”. Por esses protocolos “estão confirmados para os dias 04 e 05 de dezembro, o Electric Daisy Carnival no Brasil e, posteriormente, entre os dias 12 e 13, a Stock Car”.

Também procurada pela reportagem, a direção da Vicar preferiu não se pronunciar, de acordo com a sua assessoria de Imprensa.

124898
Autódromo Municipal José Carlos Pace (Foto SP Turis)

 

.

 

 

Compartilhar

3 COMENTÁRIOS

  1. Lamentavelmente estamos, de maneira totalmente incorreta, assistindo a delapidação do esporte auto motor por total inércia da CBA e seus dirigentes. A poucos dias estive com um representante da CBA, Sr.Dadai, que segundo dizem será o coveiro da entidade ou melhor o próximo candidato a sua presidência, ocasião em que o mesmo argumentava em um programa ao vivo na BANDSPORT que a CBA havia “ganho” diversas praças esportivas, o que posteriormente não foi concretizada suas acertivas como Brasília por exemplo. É triste ver uma entidade ganhar e não buscar fórmulas para dizer FIZEMOS ISTO OU AQUILO EM FUNÇÃO DO AUTOMOBILISMO. A Fórmula Truck é nossa única categoria realmente de marcas com efetiva participação direta dos pilotos, o RESTO É RESTO e o dia que o REAL PROMOTOR de todas as categorias que sobraram resolver parar com a “brincadeira”, teremos nossos pilotos e equipes batalhando para reerguer novamente nosso automobilismo, com muito mais dificuldades que as vezes anteriores.
    AGORA VOLTANDO A TRUCK, LAMENTAVELMENTE TEMOS A DNA. NEUSA SOZINHA BRIGANDO COM O “MUNDO”, SEM QUALQUER POSSIBILIDADE, NO MOMENTO, DE MANTER A DATA QUE SERIA SUA POR DIREITO, MAS COMO DITO ANTERIORMENTE PARA A SP TURIS O QUE INTERESSA É CNPJ+R$,
    POIS ADMINISTRA UMA PRAÇA PÚBLICA SEM GASTAR UM CENTAVO EM SUA MANUTENÇÃO E AINDA ARRECADA COM A LOCAÇÃO DA PRAÇA PÚBLICA E NINGUÉM FAZ NADA PARA DAR UM BASTA, NESTA SITUAÇÃO UM TANTO QUANTO ESTRANHA.
    CADÊ O MINISTÉRIO PÚBLICO, OS VEREADORES O SECRETÁRIO DE ESPORTES PARA AO MENOS ANALIZAREM A VALIDADE OU NÃO DO CONTRATO COM A SÃO PAULO TURISMO.

    Nunca havia mencionado anteriormente, mas ao assumir a CBA em 2001 constatamos que em 2000 não houve calendário oficial e quando saímos deixamos calendário 2009, 19 categorias, 16 contratos de promoção de eventos e quase 9 mil pilotos além de mais de 300 provas no calendário do Ministério do Esporte. Sofri duas auditorias e uma comissão investigativa sendo que a primeira me reembolsou em +- R$ 800,00, é a comissão invesgativa após se desculparem pessoalmente, depois de 3 (três) anos entenderam ser temerária a nossa administração. AFINAL FIZEMOS 8 ANOS DE AUTOMOBILISMO SÉRIO, RESPEITANDO OS PILOTOS/NAVEGADORES E PROMOTORES, LEVANDO NOSSOS EVENTOS MUITO ALÉM DAS FRONTEIRAS, ABRINDO AS PORTA DA FIA FECHADAS HÁ MAIS DE 20 ANOS.
    PAULO ÉNEAS SCAGLIONE

Muito obrigado por participar. Forte abraço, Americo Teixeira Jr.