5RG5RG5RG5R
Red Bull e Renault, mal comparando, serão como o casal que se divorcia, mas continua na mesma casa (Fotos Beto Issa)

Por Américo Teixeira Junior, de Interlagos – Já não há qualquer dúvida sobre o motor que a Red Bull Racing usará em 2016. Embora as partes envolvidas repitam, em um único discurso, não ter havido ainda a assinatura de um contrato pela necessidade de se discutir os últimos detalhes, já está definido o pacote que será anunciado em Abu Dhabi. É verdade que a parceria histórica entre o time austríaco e a Renault, que resultou nos quatro títulos mundiais de Sebastian Vettel, está caminhando para o seu ocaso, mas será justamente com os propulsores franceses que o RB12 estará nas pistas.

Sem outra opção no mercado, visto as negativas de Mercedes e Ferrari (além do veto imposto pela McLaren no que tange a um acordo com a Honda), o caminho adotado será o de comprar os motores da Renault e entregá-los para a preparação da Ilmor, empresa inglesa que tem Roger Penske como um dos donos e é responsável pelos Chevrolet na IndyCar Series.

Caso não seja estabelecida uma parceria que nomeie o motor, este inicialmente se chamará Red Bull. Especialistas ouvidos pelo Diário Motorsport estimam em 60 milhões de euros a operação para a Red Bull, que será anunciada até o término da atual temporada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here