downloadPor Americo Teixeira Jr., de Interlagos – No último sábado, dia 23 de novembro de 2013, perdi a minha “virgindade” com Roberto Pupo Moreno. E foi justamente num lugar onde, de algum modo, a gente fica arrepiado. Não entenderam nada ou estão pensando besteira? Explico.

Aos 52 anos e quase 33 anos de carreira, recebi um convite do Odinei Edson, da Rádio Bandeirantes, para integrar a equipe neste Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1. Na hora eu levei um susto e falei: “Quem, eu? Nunca fiz rádio, Odinei, nem sei para que lado vira!“. A resposta me tranquilizou um pouco (só um pouco): “Ué, eu estou nesse negócio há mais de 30 anos e não aprendi ainda e você já que chegar sabendo?“.

Para encurtar a história e lá fui eu, “foca” de tudo, circular em Interlagos com o glorioso microfone da Rádio Bandeirantes, aquela mesma emissora AM 840 que eu ouvia quando tinha, sei lá, 12 ou 13 anos. Havia um programa histórico, o “Poder da Mensagem”, apresentado por uma lenda do rádio, Hélio Ribeiro. Pois eu me preparava par ir à escola vespertina ouvindo aquele vozeirão.

Claro que fiz das minhas, né! Uma hora eu atrapalhei o Sergio Patrick atropelando a fala dele. Em outro momento o Odinei me chamou e o que se ouviu foi um nada. Claro, o “foca” aqui se esqueceu de ligar o microfone. Em outra ainda, fiz a maior confusão com fios e pilhas na hora de trocar as baterias de um daqueles aparelhinhos que me entregaram.

No domingo, falei pouco. Estava muito atento ao trabalho fantástico de toda a equipe e procurava chamar só quando tinha algo que me parecia relevante. A transmissão foi tão dinâmica que eu, sobretudo, estava preocupado em não atropelar ninguém. Estava até conseguindo, but …

Pois o Marcelo Tas, do CQC, estava desenvolvendo um raciocínio quando eu, abruptamente, interrompi-o para levar aos ouvintes uma conversa gostosa de Felipe Massa, que percorria o Paddock, depois da corrida, com o anjinho do Felipinho no colo.

Mas tudo isso foi tirado de letra com o apoio do Odinei, Patrick, Tas, Alessandra Alves, o Luis Fernando “Ico” Ramos, Jan Balder, Celso Miranda, o pessoal da técnica e todos os repórteres. Quando me desculpei com o Odinei e o Tas pelo atropelada, ouvi um reconfortante: “Relaxa, Americo, Isso é o rádio!“.

Pois é, nesse meu “seiláquantos” GP do Brasil, tive uma oportunidade maravilhosa de conhecer de perto esse mundo maravilhoso do rádio e de aprender muito. Foi, realmente, uma jornada inesquecível.

Ah, o Roberto. Pois é, o querido amigo ex-piloto de Fórmula 1 e Indy. A primeira pessoa que entrevistei no meu primeiro dia como repórter de rádio, a Rádio Bandeirantes, aquela mesma desde os meus tempos de criança, foi justamente Roberto Pupo Moreno.

Tá Explicado?

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here