Formula One TestingAssim, não é surpresa que a Fédération Internationale de L’Automobile (FIA), atenta a tudo isso que está acontecendo no mundo, coloque na sua categoria máxima, a Formula 1, a partir já desta Temporada 2009, a utilização de um sistema hibrido de recuperação de energia conhecido pelas suas siglas inglesas como KERS, que significa Kynetic Energy Recovering System ou, na sua tradução ao português, Sistema de Recuperação de Energia Cinética.

Embora os fundamentos básicos de um sistema híbrido não sejam muito complexos, a aplicação em veículos de rua já apresenta um desafio enorme, que por sua vez se multiplica exponencialmente quando se fala das exigências do esporte motor.

Um ponto básico que deve ser comentado é que um sistema híbrido de um carro de rua, como o Toyota Prius, em nada tem a ver com o sistema híbrido KERS ou o apresentado pela Peugeot no protótipo 908 HY para a 24 Horas de Le Mans.

De fato, existem múltiplas e diferentes soluções para estes sistemas híbridos de recuperação de energia e de como devolver esta energia novamente às rodas em forma de propulsão.

Recuperar esta energia em forma de eletricidade é, de fato, a mais comum por ser a que “menos” problemas acarretam para seu desenho. Porém, também existem formatos mecânicos, embora estes últimos sejam “mais lentos” na sua reação em relação aos que utilizam eletricidade. (Por Eng. Carlos Funes, com exclusividade para o Diário Motorsport)

Foto McLaren Mercedes

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here