A carreira do filho de Wilson Fittipaldi Junior registra passagens no kart, Fórmula Ford, Fórmula 3, Fórmula 3000, Fórmula 1, CART/Indy, NASCAR CUP, Stock Car, A1GP, ALMS, Le Mans e IMSA, entre outras mais

Por Américo Teixeira Junior – Fotos José Mário Dias

Em sua corrida de despedida, Christian Fittipaldi cumpriu três stints e esteve na pista por 6h37min06s663

O Cadillac DPI #5 foi o segundo carro a se dirigir aos pits, exatamente às 11:04 da manhã chuvosa no Daytona International Speedway, logo após a 14º bandeira amarela da 2019 Rolex 24 at Daytona, no último domingo. Nessa parada, no complemento da 541ª volta, houve a troca de pilotos, saindo Christian Fittipaldi e entrando o português João Barbosa. Mais do que uma situação rotineira numa prova de Endurance, o gesto simbolizou não apenas o fechamento de um stint, mas o encerramento da carreira de Christian Fittipaldi como piloto.

Foi mais um momento marcante para o brasileiro, que chorou bastante em Daytona no fim de semana que passou. Não era para menos, afinal, haja estrutura emocional para encarar a última corrida de uma carreira que quase se confunde com seus 48 anos de vida. Desde o kart, foram praticamente 40 anos atrás de um volante. Mas apesar das lágrimas, não é toda hora que se vê um piloto concluir um ciclo e deixa atrás de si uma trilha tão vitoriosa.

Desde antes de aparecer num comercial de TV dizendo “eu recomendo”, até os dias atuais, nos quais sua filha Manuela tem quase a mesma idade de quando ele começou no kart, foi angariando um outro patrimônio, especificamente um que não vende na padaria e nem na Internet: Respeito.

Não passou tanto tempo assim para que ele se tornasse o dono de seus próprios passos, colhendo bons frutos e transformando “limão em limonada”, quando foi o caso – às vezes, “sem açúcar”, foi só limão mesmo. Nesse sentido, não deve ter sido fácil para um garoto, que nasceu respirando Fórmula 1 em casa e fez da categoria um objetivo de vida, virar as costas para a Europa e enfrentar o desafio da América, a partir de 1995.

Foi, viu e venceu. No embalo, pluralizou a carreira com categorias das mais diversas, até fazer da IMSA a derradeira parada como piloto. Ao mesmo tempo em que faturou vitórias e títulos importantes, ampliou o perfil empreendedor. Agora, entre outras coisas, será diretor esportivo da Action Express Racing, posição que já acumulava com a de piloto nos últimos tempos. No âmbito privado, criou uma família linda e é a maturidade em pessoa.

Assim, o piloto pode ter parado (embora não coloque minha mão no fogo por isso), mas o profissional do automobilismo continua com toda a força. Por essas e outras, “eu recomendo” ficar de olho, pois vem muita coisa ainda by Christian Fittipaldi.

Christian Fittipaldi completou 48 anos no último 18 de janeiro

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here