Por Americo Teixeira Jr. – No dia 1º de maio de 1994, eu estava em Florianópolis em companhia do querido amigo e jornalista Cecílio Favoretto, na cobertura de uma competição internacional de kart no Kartódromo dos Ingleses. Lembro que vimos a largada no hotel e ficamos mais alguns minutos esperando a relargada, visto o acidente no início do Grande Prêmio de San Marino, em Imola.

Deu um frio na espinha ver o acidente do Ayrton pela TV. Corremos para o kartódromo com aquela sensação ruim, mas ao mesmo tempo dizendo para nós mesmos que tinha sido apenas um acidente. Na pista, entre uma atividade e outra, a aflição aumentava. Até que tudo desabou com a notícia oficial dada pelo Roberto Cabrini.

Cecílio Favoretto, antigo assessor do Ayrton e comentarista de Fórmula 1 da Rádio Globo, tinha com o piloto uma relação parternal, muito próxima. Naquele 1º de maio ele passou a ser procurado intensamente pela imprensa, que queria o seu depoimento.

Lembro que ele entrou várias vezes durante o dia ao vivo, por telefone, na Rádio Globo e em diversas outras. As reações foram as mais diversas quando ficou claro que a morte do Ayrton era uma realidade, mas Cecílio se manteve firme.

Quem conheceu o Cecílio sabe que ele só tinha tamanho, pois era todo emoção. Não sei se foi o lado profissional que falou mais alto ou se a incredulidade se abateu sobre ele. Só sei que esse grande e saudoso jornalista se manteve de pé o tempo todo.

Nossa programação da noite, que era um jantar num daqueles rodízios de frutos do mar em Florianópolis, transformou-se num jantar silencioso ali mesmo no Costão do Santinho, onde ele, o seu filho Rodrigo e eu dividíamos um apartamento. Num dado momento, Cecílio saiu. Ele não estava bem, a pressão do dia tinha chegado ao seu ponto máximo e lá, caminhando solitário pela praia do Santinho, enfim chorou pelo Ayrton. Não que tivesse contato; sua fisionomia denunciava toda a dor.

Foto Miguel Costa Jr.

Senna - Williams 2

 

2 COMENTÁRIOS

  1. Eu fui muito amigo do Cecílio e me lembro de saudosos momentos no Autodromo de Interlagos durante muitos anos e a sua morte abrupta ainda hoje tanto tempo depois me choca e entristece , mas foi com muito prazer qye eu vejo o Américo relembrar não so o Senna como também , para os amigos ,o saudoso Cecílio Favoretto.

  2. […] Cecílio Favoretto e o choro solitário de saudade (Americo Teixeira Jr) Deu um frio na espinha ver o acidente do Ayrton pela TV. Corremos para o kartódromo com aquela sensação ruim, mas ao mesmo tempo dizendo para nós mesmos que tinha sido apenas um acidente. Até que tudo desabou com a notícia oficial dada pelo Roberto Cabrini. Cecílio Favoretto, antigo assessor do Ayrton e comentarista de Fórmula 1 da Rádio Globo, tinha com o piloto uma relação parternal, muito próxima. […]

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here