Há uma verdade na Fórmula 1: “todo mundo conversa com todo mundo, o tempo todo”. Só que algumas conversas que avançam. É o caso de Robert Kubica e Haas F1 Team

Por Américo Teixeira Junior

Mesmo sem ser titular na Williams, Robert Kubica tem seu nome em relativa evidência por conta de muitos se perguntarem se ele seria capaz de fazer mais do que Lance Stroll e Sergey Sirotkin ao volante do FW41 (Fotos Williams F1)

Robert Kubica e seu agente, o italiano Alessandro Alunni Bravo, estão trabalhando fortemente para que o atual reserva da Williams ocupe um lugar de titular na próxima temporada. As opções não são muitas, mas a Haas F1 Team é uma delas.

Bravo não confirmou e a equipe não se pronunciou, apesar de consultas reiteradas. É verdade que faltam elementos para ser possível afirmar que existe uma “negociação” entre Robert Kubica e a Haas, mas definitivamente a conversa ultrapassou a fase do “oi, tudo bem?”.

Mesmo atuando esporadicamente às sextas-feiras, o momento é bom para o piloto polonês. A despeito de eventuais dúvidas sobre sua condição física, seu nome está constantemente em pauta por conta do calvário da equipe Williams.

É uma temporada tão ruim para a organização fundada por Frank Williams que uma pergunta sem resposta ecoa pelo paddock e fora dele: “O que Robert Kubica estaria conseguindo tirar desse carro se fosse ele o titular?”.

Pelos lados da Haas, há uma espécie de “nuvem cinzenta” pairando sobre a Haas, quase que a compor o quadro de lamento por perda de pontos praticamente garantidos, não fossem os altos e baixos de seus pilotos.

Levaria Kubica a homogeneidade de performance desejada por Gene Haas e Guenther Steiner, justamente no ano em que a equipe norte-americana tem na pista o seu carro mais competitivo?” Embora seja outra pergunta sem resposta, é um bom tema para uma conversa face-to-face.

Inconsistência de Romain Grosjean é a maior responsável pela perda de pontos da Haas na atual temporada (Foto Haas F1)
Compartilhar

1 COMENTÁRIO

Muito obrigado por participar. Forte abraço, Americo Teixeira Jr.