Por Americo Teixeira Jr. – Cada um sabe o que faz da vida e se Michael Schumacher resolveu voltar para a Fórmula 1, depois de uma curta aposentadoria de três temporadas, isso é lá problema dele e ninguém tem nada com isso. Entretanto, números são números e traduzem, nos anuários, o que cada piloto fez em sua carreira. Nesse sentido, as três temporadas na equipe Mercedes só serviram para desconstruir, na esfera percentual, parte do que o piloto alemão arrebatou entre 1991 e 2006.

Até o Grande Prêmio da Hungria, Schumacher disputou 49 provas nessa nova fase, que lhe permitiu angariar novos 177 pontos em três anos e apenas um pódio (3º lugar no Grande Prêmio da Europa deste ano). Se antes seus percentuais de vitórias, poles e pódios eram, respectivamente, 36,4%, 27,2% e 61,0%, suas perdas foram significativas em todos esses itens. Suas poles se reduziram a 22,9% das provas disputadas, o mesmo acontecendo com vitórias (30,6%) e pódios (52,1%).

Mas são detalhes menores diante do todo de sua carreira e não vão, de modo algum, atrapalhar a festa de 300 Grandes Prêmios que ele comemora neste domingo em Spa-Francorchamps. Aos 43 anos, enquanto o heptacampeão não define quando será sua segunda e definitiva aposentadoria, segue seu rumo pelas pistas, por opção.

 

Michael Schumacher completa neste domingo 300 Grandes Prêmios disputados (Foto HOCH ZWEI/Mercedes)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here