Giuliano Raucci (Foto RF1)
Giuliano Raucci (Foto RF1)

Por Américo Teixeira Junior – Dirigente das carreiras de pilotos consagrados, o empresário francês Nicolas Todt passa a exercer um papel importante na carreira do piloto paulista Giuliano Raucci, de 17 anos. Contrato nesse sentido foi assinado após encontro realizado no início de março em Genebra, Suíça, com a participação do piloto, Rogério Raucci (pai e coordenador da carreira), Marcello Hirsch (manager de Giuliano), além de Todt e membros de sua equipe na All Road Management.

A partir de agora, o profissional de 38 anos será um dos responsáveis pela preparação do piloto, incluindo análise psicológica, programa de aperfeiçoamento técnico e desportivo, avaliação de atividades cumpridas em pista e demais ferramentas que venham a ser úteis ao competidor de 17 anos, que cumprirá em 2016 sua segunda temporada completa no Italian F4 Championship.

Esse é o desfecho de uma conversa que começo ainda em 2013, mas que ganhou corpo durante o GP do Brasil de F1 do ano passado, quando o staff de Raucci e o empresário de Felipe Massa tiveram uma longa reunião em Interlagos.

O acordo, porém, não significa que Giuliano Raucci desde já será empresariado pela empresa criada em 2003, nos mesmos moltdes de Massa, Pastor Maldonado, James Caladom Charles Leclerc e Jose Maria Lopez. Entretanto, uma cláusula de renovação automática já projeta a continuidade dos trabalhos para além da fase atual, que será mais de orientação e observação.

p_maldonado_n_todt_15_16_1440x655c
Uma das prioridades de Nicolas Todt é recolocar nas pistas o piloto venezuelano Pastor Maldonado (Foto Lotus Media)

 

 

Compartilhar

6 COMENTÁRIOS

  1. kkkkkk outro piloto filhinho de papai rico! Uma especie de Pedro Paulo Diniz que so vai engordar os cofres do Nicholas Todd! Esse “piloto” nao vai a parte alguma, podem apostar de olhos fechados!

    • @CarlosRomero independente da capacidade financeira ou técnica dele (que não deve ser julgado por você), seja minimamente pratriota, como a grande maioria dos países desenvolvidos são, e valorize que por trás de toda essa história tem um menino que está levando a bandeira do Brasil a fora – lutando pelo seus sonhos. Devemos incentivar todos os profissionais que, mesmo tendo esse tipo de oportunidade única, abdicam totalmente de sua juventude e diversas outras coisas para alcançar um dos mais dificieis níveis profissionais em um esporte – a F1.

      Se vai chegar em algum lugar, não sabemos, mas que com este apoio na carreira, que ele consiga se destacar e quem sabe um dia carregar nossa bandeira na principal categoria do automobilismo mundial.

Muito obrigado por participar. Forte abraço, Americo Teixeira Jr.