Piloto espanhol é fundador e principal imagem da marca de roupas e acessórios de moda Kimoa

Por Américo Teixeira Junior

Piloto e patrocinador: A Kimoa tem visibilidade destacada nos McLaren MCL33 Renault (Fotos Zak Mauger/McLaren)

Anunciada ontem com exclusividade mundial pelo site brasileiro Grande Prêmio, a transferência de Fernando Alonso para a IndyCar tem impacto direto nos ganhos salariais do espanhol, cujas cifras indicadas pela revista Forbes giram em torno de R$ 160 milhões por ano. Estima-se que esse valor, a julgar por raras estimativas divulgadas sobre salários na categoria, cobriria – e com sobras – todos os salários do atual grid do Verizon IndyCar Series.

Há, porém, um elemento muito objetivo a desmentir esse aparente “desapego” ao dinheiro, que é o Fernando Alonso empresário. Por maiores que venham a ser os ganhos do piloto, que certamente o colocarão como o maior salário da IndyCar, estes serão inferiores aos auferidos na Fórmula 1, mas com enorme poder de compensação por meio da marca de roupas e acessórios de moda Kimoa, termo havaiano que significaria “apreciar o pôr do sol”.

Criada em 2015 e lançada por gigantesca campanha de internacionalização dois anos depois, a Kimoa faz parte da Quimoalar, empresa que concentra os negócios do piloto espanhol e dirigida por Luis García-Abad, assessor que o acompanha desde o início da carreira. Focada na operação online, a marca está em 150 países, inclusive o Brasil, mas tem os Estados Unidos como um dos principais mercados-alvo.

Da Espanha para o mundo

Apesar do nome de inspiração havaiana, as operações da Kimoa estão concentradas em Madri e os produtos são oriundos de oficinas e indústrias testeis basicamente espanholas, com predominância da região de Barcelona. Seu portfolio é composto por roupas femininas e masculinas, além de óculos de sol e demais acessórios de moda para o dia a dia e praia, com enfoque no verão.

O primeiro passo para reforçar a marca nos Estados Unidos aconteceu na Indy 500 do ano passado, quando a marca Kimoa esteve amplamente divulgada. A enorme popularidade angariada pelo bicampeão mundial naquela participação atingiu um público que, em grande parcela, não se interessa pela Fórmula 1, gerando experiência de assimilação da marca muito bem-vinda.

Há de se considerar que a importância de Fernando Alonso para o esporte atrai diversos interesses que, juntos, conseguem a proeza de tirar o melhor piloto do grid da Fórmula 1 atual para levá-lo à Indy. A categoria norte-americana, sejamos honestos, é extremamente limitada se comparada à competição da FIA, mas atua num mercado com potencial multiplicativo inimaginável para os atuais e futuros negócios do agora também empresário espanhol.

Compartilhar

Muito obrigado por participar. Forte abraço, Americo Teixeira Jr.