Retomada terá maratona de seis provas em nove dias

Por Américo Teixeira Junior

Nada de multidão no Berlin Tempelhof Airport este ano – Fotos Alastair Staley/LAT Images (Berlim, Alemanha, 25.05.2019)

Apesar de a comunidade itinerante da Fórmula E ser composta por aproximadamente 5 mil pessoas, a rodada alemã não terá mais do que 20% deste efetivo. Aliás, o objetivo é ficar abaixo de 1 mil integrantes. Tal redução é prevista pelo protocolo da categoria, criado com assessoramento de autoridades sanitárias, e também tendo como base as normas estabelecidas pelo governo de Angela Merkel, consideradas das mais rígidas quanto ao controle do coronavírus.

Diferentemente de outras categorias, ninguém com mais de 60 anos terá entrada permitida no local da prova, o Berlin Tempelhof Airport, mesmo que o status seja de autoridade técnica ou desportiva. Além do público, imprensa e ‘aspones” que infestam o esporte a motor, foram “varridas” do cenário as equipes com atuação direta ou indireta nas atividades promocionais e de hospitalidade.

A categoria realizará três rodadas duplas, entre 5 e 13 de agosto, neste que é o maior parque público de Berlim. Construído pelo regime nazista, o aeroporto foi desativado em 2008. A intenção dos organizadores é usar uma versão diferente de traçado improvisado para cada uma delas. A FIA, porém, ainda não deu o “sinal verde”.

Além de Lucas Di Grassi (Audi Sport) e Felipe Massa (Venturi Racing), o Brasil será representado também por Sergio Sette Câmara, que cumprirá a maratona pela Dragon Racing. Na categoria suporte, a Jaguar I-Race ETrophy, Sergio Jimenez defenderá o título em seu poder.

Capa/Destaque: Lucas Di Grassi comemora vitória no E-Prix de Berlim de 2019

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here