A principal delas é a ausência do fundador Marcos Galassi

Por Américo Teixeira Junior

Além dos monopostos de competição, a categoria possui também um carro de dois lugares para promoções – Fotos RODRIGO RUIZ

Com as vitórias de Alex Seid e André Beisert, começou no último domingo, em Interlagos, a segunda fase da Fórmula Inter. Criada de forma ousada pelo empresário Marcos Galassi, inclusive com projeto e construção dos monopostos no Brasil, a categoria passa a ser promovida pelo empresário Eduardo Bruza, que já fazia parte de seu grid.

O novo promotor adquiriu os direitos por dois anos de Galassi, que continua proprietário dos carros. Outro que se afastou foi José Minelli, construtor de todos os carros da categoria. Com 11 etapas previstas, o regulamento esportivo também mudou, adequando-se ao formado da FASP.

A partir de agora, a manutenção dos carros ficará a cargo do chefe de equipe Eduardo Benites, que já atuava na categoria. A sede também é nova, agora no bairro de Interlagos.

Em termos esportivos, passou a ser adotado o regime de rodada dupla e foi franqueada a formação de duplas. Foi o caso dos vencedores Seid e Beisert, que dividiram a condução do MG15 #7 e conquistaram duas vitórias, uma bateria para cada um.

Para as próximas semanas, Eduardo Bruza definirá qual será a empresa encarregada de manutenção dos motores, além de algumas novidades que estão sendo estudadas.

Eduardo Bruza assumiu o comando da Fórmula Inter em janeiro último

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here