Pela primeira vez a entidade poderá ser presidida por um não-europeu

Por Américo Teixeira Junior

A partir de R$ 10/mês, você pode colaborar com o Diário Motorsport independente e investigativo CLIQUE AQUI E PARTICIPE!

A Federation Internationale de L’Automobile (FIA) conhecerá nesta sexta-feira, 17, o 12º presidente de sua história. Disputam a presidência da entidade fundada em 1904 o inglês Graham Stoker, pela Situação, e Mohammed Ben Sulayem, do Emirados Árabes. Se vencer, o ex-piloto de rally quebrará a tradição de apenas europeus dirigirem a FIA. Além do posto principal, a chapa presidencial elege também o presidente do Senado, os vice-presidentes de Esporte e Mobilidade, e mais sete vices regionais de Esporte: África, América do Norte, América do Sul, Ásia, Europa Ocidental, Europa Oriental e Oriente Médio.

Na prática, o presidente da FIA é o gestor político. O presidente do Senado cuida da administração e finanças e, dada a importância do cargo, na ausência do presidente, quem assume é ele, nada de vice. Os vice-presidentes de Esporte e Mobilidade cumprem funções executivas nas respectivas áreas, enquanto os vice-presidentes regionais são membros executivos locais.

O Brasil está representado na disputa por Fabiana Ecclestone. A ex-vice-presidente de marketing do GP do Brasil de Fórmula 1 faz parte da chapa de Ben Sulayem como candidata a vice-presidente de Esporte para a América do Sul, representando a Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA). Na eleição, além do voto da CBA, representada pelo presidente Giovanni Guerra, votarão pelo Brasil o Automóvel Clube Brasileiro e a Associação Automobilística do Brasil. Pelo critério da eleição, cada país pode ter até dois votos, um para cada segmento e com peso 12. Dessa forma, a CBA vota sozinha pelo Esporte e vale 12 pontos. Já os dois clubes, ambos de Mobilidade, valem seis cada um.

Adeus de Jean Todt

Jean Todt não pode concorrer novamente porque alcançou simultaneamente os dois impeditivos determinados pelo Estatuto da FIA. Nenhum cidadão pode ocupar a presidência por mais de três mandatos, consecutivos ou não. Além disso, qualquer candidato tem de ter menos de 75 anos no dia da eleição. Todt está concluindo seu terceiro mandato e completou 75 anos no último dia 25 de abril.

Graham Stoker é o atual vice-presidente de Esporte da FIA, cargo que ocupa desde 2009. Advogado de 69 anos, é especializado em questões legais do esporte, Já foi presidente da “CBA” da Inglaterra, a Motorsport UK; comissário da Fórmula 1; membro do Senado; da Corte Internacional de Apelação e presidente da Comissão Antidoping, entre outras funções.

Economista de 60 anos, Mohammed Ben Sulayem é presidente da Emirates Motorsports Organization, que é a ASN dos Emirados Árabes Unidos filiada à FIA, e organizador do GP de Abu Dhabi. Está na FIA desde 2017, quando foi eleito vice-presidente de Esporte para o Oriente Médio e membro do Conselho Mundial de Esporte a Motor. Antes disso, foi um vitorioso piloto de rally por aproximadamente 20 anos.

Capa/Destaque: Jean Todt - Foto FIA MEDIA (Paris, França, 18.12.2020)

Acompanhe o Diário Motorsport no Youtube Twitter  Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here