Ação da FASP classifica como “viciada” a distribuição de datas

Por Américo Teixeira Junior

José Aloizio Cardozo Bastos, presidente da FASP, é o responsável pelo pedido de impugnação – Foto Reprodução www.faspnet.com.br

Publicado no Diário Oficial da Cidade de São Paulo o dia 23 de janeiro, o Calendário Oficial 2020 do Autódromo Municipal José Carlos Pace provocou reação imediata da Federação de Automobilismo de São Paulo (FASP), que aponta erros na avaliação dos pedidos e distribuição de datas para entes não qualificados. Ao despacho do chefe de gabinete da Secretaria Municipal de Turismo, Vicente Rosolia, a entidade paulista pediu impugnação e revisão à secretaria comandada por Miguel Calderaro Giacomini.

No documento, o presidente José Aloizio Cardozo Bastos enumerou diversos pontos que, no seu entender, justificam o pedido de impugnação do calendário divulgado. Na avaliação do dirigente da FASP, a publicação revela, por parte da secretaria, omissão em alguns casos e avaliação equivocada de documentos irregulares em outros.

Dentre as diversas queixas formuladas, os principais alvos são a Associação de Pilotos de Endurance, Associação de Pilotos de Motovelocidade, Liga Desportiva de Automobilismo, Super Liga de Motociclismo do Estado do Rio de Janeiro e do Brasil e Superliga Desportiva de Velocidade.

Endurance: contrato em andamento

A FASP avalia que a associação promotora do Campeonato Brasileiro de Endurance não poderia ter recebido datas por ausência de contrato para 2020 com a Confederação Brasileira de Automobilismo. Apesar disso, a outorga ocorreu, mesmo com o documento comprobatório estar anexado ao processo, caracterizando erro da secretaria.

A Super Liga de Motociclismo do Estado do Rio de Janeiro e do Brasil (Sulmerj), “supervisora nacional de eventos desportivos de motovelocidade e de veículos automotor”, segundo consta no ofício da FASP, e a Superliga Desportiva de Motovelocidade (Superliga), de São Bernardo do Campo (SP), declaram em suas solicitações de datas que fazem “eventos conjuntos com a Liga Desportiva de Automobilismo”. Para a FASP, trata-se de um subterfúgio unicamente para ampliar o calendário para a LDA. As três, segundo a FASP, são ilegais, pois foram “criadas ao arrepio da Lei 9615/98”. Classificou, ainda, como “imprestáveis juridicamente” a documentação da Federação Paulista de Motociclismo (FPM) juntada à solicitação de datas. Isso porque considera sem validade legal o estatuto e a ata da eleição por ausência de registro em cartório.

Lembra, ainda, que apesar de o autódromo ter sido reprovado pela Federação Internacional de Automobilismo para a prática do esporte de duas rodas, um documento da própria FIM foi incluído no pedido de datas da Associação de Pilotos de Motovelocidade, promotora da Super Bike Brasil, liberando Interlagos para motor. Tratou-se, segunda a FASP, de um “documento elaborado na língua Inglesa, sem nenhuma tradução legal (tradutor juramentado).

Diante das questões levantadas e da proximidade dos primeiros eventos do ano, é esperada decisão muito rápida da Secretaria Municipal de Turismo.

Relação de empresas e/ou entidades com pedidos de datas atendidos

Associação de Pilotos de Endurance

Associação de Pilotos de Motovelocidade – Superbike (APM)

Automóvel Clube Paulista – Três Horas de São Paulo

Dener Motorsport Produções – Porsche Cup

Federação de Automobilismo de São Paulo (FASP)

Federação Paulista de Motociclismo (FPM)

Instituto Ayrton Senna – Senna Day

Liga Desportiva de Automobilismo (LDA)

Mais Brasil – Copa Truck

T4F Entretenimento – Lollapalooza e Festival Solos

Super Liga de Motociclismo do Estado do Rio de Janeiro e do Brasil (Sulmerj)

Superliga Desportiva de Velocidade (Superliga)

Vicar Promoções – Stock Car

Todas as organizações desportivas citadas na críticas da FASP foram contactadas e cada posicionamento será revelado em matéria em separado

Fotos aéreas de Interlagos: DUDA BAIRROS

2 COMENTÁRIOS

  1. FASP sempre querendo melar os campeonatos concorrentes. Tipica entidade que não gosta de perder, o negócio é a ganancia, só querem ganhar. Se a LDA é ilegal, se corrida de moto não é aprovada pela FIM, problema da justiça com a LDA, problema da Super Bike com a justiça caso morra mais um piloto no autódromo.

    Mas eles tem que melar os concorrentes para ser a única opção para os pilotos paulistas. Ganância….

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here