Warren Hughes (GBR)/Darren Manning (GBR)/Mario Haberfeld (BRA), Radical SR9 - Judd, EMBASSY RACING

Aos 33 anos, completados no dia 25 de janeiro último, o paulista Mario Haberfeld encara com muita tranqüilidade a atual fase fora das pistas. Apesar de ter uma carreira de quase 20 anos, que engloba de títulos no kartismo a testes nas equipes Jordan, McLaren e Stewart de Fórmula 1, o piloto radicado em Miami (USA) considera que o automobilismo, agora, é passado. “Acho que essa página já virou. Agora, só mesmo a 500 Milhas da Granja Viana”, destacando o seu compromisso anual na prova de longa duração no kartódromo da Família Giaffone, em Cotia, Grande São Paulo.

No Brasil, depois de correr no Brasil de kart e na Fórmula Ford, em ambas as ocasiões na equipe dirigida pelo jornalista e chefe de equipe João Alberto Otazú, Mario passou a correr na Europa, onde se constituiu em um dos grandes nomes brasileiros na década de 90. Os títulos no Britânico de Fórmula Ford (1995) e no Europeu de Fórmula Renault (1996), os dois pela Manor Motorsport, pavimentaram a carreira para a sua maior conquista, que foi o título no Britânico de Fórmula 3, em 1998, pela equipe Stewart. Seu principal rival naquele ano foi justamente o brasileiro Enrique Bernoldi, que mais tarde seria piloto titular da equipe Arrows de Fórmula 1.

Equipes nem sempre competitivas e alguns acidentes não permitiram que ele repetisse a mesma performance vitoriosa nos quatro anos seguintes na Fórmula 3000, então último degrau rumo ao objetivo máximo, a Fórmula 1. A opção pelos Estados Unidos o conduziu para a Champ Car entre 2003 (Conquest) e 2004 (Walker). Seguiram-se participações na Grand Am e na Mil Milhas de 2007 com o LMP2 da Embassy Racing.

Em paralelo ao seu desempenho nas pistas, Mario sempre se destacou pela forma discreta de se portar, decisões ponderadas, educação e camaradagem. Eu próprio e o fotógrafo Miguel Costa Jr. fomos alvo dessa forma gentil de ser do Mario, que sempre procurava ajudar esses dois “perdidos no mundo” quando em nossas viagens pela Europa e Estados Unidos. Que essa “página virada” dure muito pouco, só até o próximo cockpit, logo ali.

Mario Haberfeld entrando no Esse do Senna com o Radical Judd LMP2, já na parte noturna da Mil Milhas Brasil 2007

Foto Vinícius Nunes

1 COMENTÁRIO

  1. Oi Américo,
    Legal esta homenagem ao Mário.
    A família Haberfeld é extremamente discreta, educada, e sempre primou por decisões sábias.
    Tive uma das grandes oportunidades na vida ao trabalhar com o Mário em minha equipe de kart e Fórmula Ford. E acabei de ganhar um capacete dele, em comemoração aos meu 30 anos como profissional do automobilismo, da ocasião em que ganhamos muitas corridas e títulos no kart.
    1abraço,
    OTAZÚ

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here