16c_0080
A vitória de Victor Franzoni em NOLA foi debaixo de muita chuva (Foto USF2000 Media)

Por Americo Teixeira Jr. – Apesar de estar ainda fresca em sua memória a alegria pela vitória conquistada no NOLA Motorsports Park no último dia 12 , a continuidade da carreira do paulista Victor Franzoni está ameaçada. Salvo uma mudança do atual cenário, o piloto da categoria de acesso USF2000 estará se despedindo após a rodada dupla deste fim de semana no Barber Motorsports Park. Tudo porque há uma “pedra” no caminho chamada “falta de recursos financeiros”.

O Mazda Road to Indy é um programa de acesso à IndyCar e é composto por três categorias. O caminho regular é começar pela USF2000, onde Victor compete desde o ano passado, passando depois para a Pro Mazda e chegando na Indy Lights, último degrau antes da categoria principal. Praticamente todas as etapas do Verizon IndyCar Series recebem como evento suporte uma ou mais categorias de acesso.

Integrante do grupo que participou em 2011 da Fórmula Futuro, de Felipe Massa, o piloto passou os dois anos seguintes na Europa correndo de Fórmula Renault. A migração para os Estados Unidos aconteceu no ano passado, quando fechou um acordo com a Afterburner Autosport para correr neste que é o primeiro “degrau” na escalada rumo a Indycar. Foram 14 corridas, uma vitória, o 5º lugar no campeonato e a opção para 2015 foi permanecer na mesma categoria e com o mesmo time.

O acordo para 2015, porém, foi diferente. Se no ano passado seus apoiadores pagaram metade do budget, na atual temporada está correndo sem pagar. No planejamento do team onwer Tim Walsh, enquanto caberia a Victor lutar pelo título, em razão da experiência já adquirida, um segundo piloto, pagando o budget completo, custearia todo o projeto. Por budget completo entenda-se algo em torno de US$ 17 mil por rodada.

Mas se no papel a ideia parecia perfeita, na prática ainda não se confirmou. O segundo piloto não veio, a equipe disputou as duas primeiras rodadas duplas somente com um carro e a saúde financeira está no fim. Tanto que o piloto já foi avisado que a rodada dupla da Louisiana, cujos treinos começam hoje, é a última a ser cumprida no antigo formato.

A equipe não teve culpa”, disse Victor Franzoni, que reside em Boca Raton, Flórida. “Como ela não consegue bancar a temporada sozinha, ou a gente consegue um piloto ou eu terei de levar dinheiro a partir de Indianapolis”, revelou o atual 4º colocado na classificação geral. Sem os recursos necessários, seu único pensamento é vencer as duas corridas no circuito misto localizado em Birmingham e ganhar fôlego para correr também nas preliminares do Indianapolis Grande Prix, competição que abre o Super May na capital de Indiana.

16c_0153
Festa com membros da equipe após a vitória em NOLA (Foto USF2000 Media)

Plano B

Diferentemente do que se poderia supor, o garoto de 19 anos transborda otimismo. Ele não quer nem pensar na possibilidade de ver esse trabalho interrompido, principalmente porque a evolução da equipe é muito grande. “O Tim faz um grande trabalho, o nosso grupo de engenheiros é muito bom e com isso a melhora é visível”, avaliou o competidor, que além da vitória em NOLA, tem também um 4º e um 6º lugares.

Apesar de sentir que alguma coisa boa vai acontecer, Victor tem uma visão bem ampla sobre o futuro. Parar, segundo ele, está fora de questão. “Qualquer coisa que tenha volante interessa”, brincou. Ele tem tido, entre outros, o apoio do empresário Guto Negrão, ex-piloto de Stock Car que é dono da NOVAC Sports. “Sem o apoio do Guto eu não estaria aqui, nem teria saído de casa”, reconheceu.

É nesse cenário de incertezas que Victor Franzoni encara as etapas 5 e 6 do campeonato, que serão realizadas amanhã e sábado no mesmo evento da terceira etapa do Verizon IndyCar Series. Enquanto tem como objetivo estar com Helio Castroneves e Tony Kanaan em futuro próximo, estará acelerando não apenas para vencer provas, mas principalmente para sobreviver no automobilismo.

04cj5552
Aos 19 anos, o piloto é o único brasileiro atualmente no Road to Indy (Foto USF2000 Media)

 Notícia atualizada em 1º de maio de 2015

“… o brasileiro acertou com a equipe M1 da Pro Mazda para a rodada tripla de Indianápolis, marcada para os dias 8 e 9 de maio”. CLIQUE AQUI PARA LER A NOTÍCIA COMPLETA NO WORLD OF MOTORSPORT

5 COMENTÁRIOS

  1. Esse menino pilota muito. Muito tecnico e inteligente. Tem grande futuro na Indy. A unica solucao que vejo é buscar patrocinadores nos EUA mesmo, pois ao contrario do Brasil valorizam os atletas e o que o esporte pode trazer para os jovens e geracoes futuras.

  2. Very few outside of racing understand the effort it takes to field a car. Even fewer understand the skill it takes to complete at this level. Victor is not only a great kid, he’s the most dedicated driver I’ve ever seen. The team has a gofundme account set up at http://www.gofundme.com/s42ybk We made the first donation and wish we could make more. Consider a donation – he would appreciate it.

  3. Deve ser muito ruim viver uma situação deste tipo… no caso do Victor é algo que, mesmo que apenas mais ou menos, se assemelha a ter um emprego e estar de aviso prévio…
    Isto mostra bem porque o automobilismo é um esporte elitista. Quando penso nas coisas boas que brasileiros conseguem no automobilismo mundo afora, esta “coisa” financeira some de minha mente por alguns instantes, penso apenas na parte esportiva em si. Mas é inegável, especialmente hoje em dia, que isto está muito atrelado à carreira de um piloto por categorias internacionais, em especial a F-Indy e a F-1. E isto é algo um tanto quanto triste.
    Torçamos para que ele consiga vencer as próximas duas etapas, quem sabe não surge um patrocinador até lá, ou um 2º piloto cheio da grana…

Deixe uma resposta para adriano Cancelar resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here