Levantamento da CBA revela quedas substanciais em todas as modalidades

Por Américo Teixeira Junior

A partir de R$ 10/mês, você pode colaborar com o Diário Motorsport independente e investigativo CLIQUE AQUI E PARTICIPE!

Que a pandemia do Covid-19 triturou vidas e sonhos, todos sabemos. Entretanto, o avançar de 2021 permite mensurar o tamanho do estrago em alguns setores, como o automobilismo brasileiro. Em termos macros, levantamento da Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA) indica que aproximadamente 4 mil pilotos deixaram de competir no ano passado.

Os números de 2019 indicam que 10.579 competidores tiveram cédulas esportivas emitidas pela CBA. Já em 2020, foram 6.532 pilotos e navegadores. Portanto, a redução foi de exatos 4.047 documentos ou 38,26%. Cancelamentos de eventos, encurtamento de calendários, transferência de datas, falta de patrocínio, entre outros motivos, foram resultado da “aliança nefasta” entre pandemia e crise econômica.

A modalidade que mais reuniu competidores em 2020 foi o kartismo, com 1.670 pilotas e pilotos filiados. Seguiram-se Rali (1.404, sendo 1.188 em competições de regularidade e 216 nos ralis de velocidade), Arrancada (1.288), Velocidade (1.172), Velocidade na Terra (368), Track Day (358), Carros Históricos (216) e Drift (216).


Capas/Destaque: Foto Bruno Gorski/CBA

Acompanhe o Diário Motorsport no Youtube Twitter  Facebook

1 COMENTÁRIO

  1. Bom dia. Gostaria que fosse divulgado um quadro comparativo de pilotos licenciados dos últimos 3 ou 5 anos por modalidade. Rali, pista, kart, arrancada etc.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here