(Por Aline Mattheis, colaboradora do Diário Motorsport) Sábado foi o Dia dos Namorados e recebi um presentão! Em 1993, meu pai, Andreas Mattheis, corria no Campeonato de Marcas e Pilotos com um Ford Escort prateado, que chamávamos de “Flechinha”, pois o carro vencia todas! Com o fim da categoria, o “Flechinha” foi aposentado e sumiu.

No ano passado, porém, o Flávio Gomes (@flaviogomes69) fez um vídeo com um Escort de corrida, mas ninguém tinha muita certeza de quem era o carro. Quando comecei a ver o vídeo, eu chorava e ria ao mesmo tempo. Sozinha em casa eu gritei: “É o Flechinha!”. Eu tive certeza quando vi o Santo Antônio, pois meu pai o projetou com cotonetes e super bonder! (esse deveria ser o jeito moderníssimo de testes na época). Na mesma semana, lá estava o “Flechinha” equipado com uma gaiola segura e arrojada…

Voltando ao sábado, fui naquele dia frio ao Autódromo de Interlagos e me encontrei com essa minha paixão! Eu fiquei gelada, tremi, me emocionei, entrei no carro, viajei no tempo, aliás, o tempo parou mesmo. Eram somente nós, “Flechinha” e eu. Imaginem que o carro ainda tem a etiqueta da última etapa de Marcas e Pilotos, 10 de dezembro de 1993.

Alguém me perguntou se eu queria levá-lo pra mim. Respondi: “Quero morar nele!”. Fui e voltei várias vezes ao box para “namorá-lo” mais. O “Flechinha”, hoje pertencente a Nenê Finotti e Henry Shimura, correu e fez bonito novamente: Venceu! Fui convidada a entregar o troféu aos novos donos. Entorpecida, aceitei na hora. Aquele carro tem história, me traz lembranças maravilhosas e voltei no tempo. É gostoso saber que tem pessoas que cuidam com carinho de um velho vencedor. Muita Gratidão! Viva Santo Antônio! (Aline Mattheis @LikaMattheis)

7 COMENTÁRIOS

  1. Sensacional, tive oportunidade de competir em 1993 , no campeonato com um escort sspao, fornecido pela Ford, com custo baixo. Como não tínhamos experiência com o carro e em novas pistas, recebi muitas orientações e e ajuda do Matheis, cara humilde, multi campeão como PILOTO E PREPARADOR, um cara que é exemplo de homem em todos os sentidos , dentro fora das competições. Só ti e contato com ele , naquele ano. Mas me ajudou .muito com suas orientações. Sou eternamente grato torcedor n1 um dele. Parabéns pelo PAI QUE VC TEM TANTO ORGULHO. ABRAÇÃO A VCS. SUCESSO SEMPRE.

  2. Muito bom saber que ainda existem pessoas que cultivam estes carros! O falta no brasil é isso.. paixão (e dinheiro) para o automobilismo, eu mesmo seria um que se tivesse condições (e uma cateogira barata e competitiva) botaria um Escort pra correr !!

  3. Olá sou piloto de marcas e para mim foi muito emocionante esse video, um verdadeiro carro projetado na epoca pela fábrica p/ competir pelo brasileiro de marcas . Isso depois de DEUS , familia é minha grande paixao, meus grandes idolos daquela epoca foram seu pai andreias , rogerio santos e toninho da matta , eu era criança mas via tudo aquilo atraves de revistas especializadas , graça a DEUS e tudo que lí sou um deles ,mas muito longe de ter o talento de seu pai . abraço
    MÁRCIO RODRIGUES.

  4. Aline, bom dia!
    Que história fascinante. É muito bom relembrarmos tempos de nossas vidas em que éramos felizes e não sabíamos.
    Se bobear a assinatura no selo de vistoria técnica é a minha!
    Imagine como estou de emoções agora e as divido com você.
    Abraços

  5. Li, que legal você ter reencontrado o carro, lembro quando você viu essa matéria ano passado e ficou toda empolgada querendo reencontrar o carro.

    Imagino como deve ter sido legal voltar no tempo e ter todas as lembranças do carro.

    Beijos

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here