Por Americo Teixeira Jr. – Embora não corra mais o risco de ações externas contra sua gestão, pelo menos por enquanto, o modo como o presidente Cleyton Pinteiro tem conduzido a Confederação Brasileira de Automobilismo tem gerado questionamentos entre seus próprios aliados. Algumas ideias estariam demorando para chegar à mesa do presidente porque seus portadores temem confrontar a atual estrutura de poder, o que poderia gerar complitos e eventual perda de espaço.

Pinteiro já mostrou como trata adversários. Em seu segundo mandato, o dirigente soube sufocar “até a morte” a Federação de Automobilismo do Distrito Federal, recentemente desfiliada quando já estava sob o comando do ex-vice-presidente Dione Rodrigues, desafeto de Pinteiro por tentar articular uma chapa de oposição para a eleição passada, que acabou não se constituindo. O antecessor, Napoleão Ribeiro, era declaradamente de oposição.

Como acontece em qualquer gestão, o atual mandatário formou um time de pessoas de sua confiança para assessoramento e, claro, ouve com atenção suas sugestões. Fosse diferente, não precisaria de pessoas de confiança ou de grupo de assessoramento. Só que para alguns,  trata-se de uma blindagem que dificulta o acesso para exposição de novos conceitos.

Não há meios de medir, com clareza, qual é a visão mais correta. Certo é, porém, que a Gestão Cleyton Pinteiro precisa aproveitar a sequência desse segundo mandato para colocar muita coisa em ordem, algumas delas em desordem por ação da própria atual gestão.

Foto CBA

 

image

2 COMENTÁRIOS

  1. Quem perde e o automobilismo nacinal em geral!
    E pra que uma confederação?
    Sendo que a mesma não está nem aí ” só para o dinheiro mesmo” ? Moro em Goiânia, a federação aqui é monopolizada também, o autódromo!? Se é que podemos chamar assim, está as traças, reza a lenda que foi liberada uma verba de 25 milhões de dilmas para nova reforma, que se iniciará a partir do dia 25 de outubro. Se essas federações, confederações e afins tivessem pulso firme na hora de revindicar talvez as coisas aconteceriam em prazos menores. É lamentável!
    Mas como se diz aquele antiquíssimo jargão, bordão, latão, lixão…
    “ISTO E O BRASIL”

  2. Vc é educado, polido e cortez. ao dizer assesores!!!

    Eu digo máfiosos!!
    Quadrilheiros…
    Fazer o que né!! Se quem tem o poder de formar opinião se afastou completamente da CBA…
    Nós só podemos falar o que pensamos, “”só podem aqueles que não vestem a camisa da CBA”””
    Sei lá porque!! Talvez a grana do silencio e conivencia seja boa…

Deixe uma resposta para marcão Cancelar resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here