Piloto polonês de 32 anos retornará à Fórmula 1 após sete temporadas de ausência, em razão do grave acidente sofrido no dia 6 de fevereiro de 2011 no Rali de Andorra

Por Américo Teixeira Junior

Robert Kubica nos testes da pré-temporada, em Valência, no dia 2 de fevereiro de 2011; quatro dias depois, na Itália, sofreria o acidente de rali que mudou radicalmente sua vida (Foto Glenn Dunbar/LAT Photographic/Lotus Renault)

Como já era compreensivelmente esperado, membros da equipe e do staff do piloto não confirmam, mas o Diário Motorsport pode afirmar categoricamente que Robert Kubica já foi escolhido para ser o novo piloto da Williams em 2018 no lugar de Felipe Massa. Não há uma data conhecida para o anúncio, mas neste momento é apenas uma questão cerimonial. O grupo de apoio de Kubica negocia diversas operações para potencializar o retorno de Kubica e um das partes envolvidas, em especial, confirmou inclusive que o contrato já está assinado, sem especificar, contudo, suas bases.

No paddock do GP do Brasil, foi possível entender um pouco mais sobre o encaminhamento do processo e sobre como foram os testes do piloto polonês em Hungaroring e Silverstone. Havia dois pontos fundamentais a serem observados, sendo o primeiro deles a condição física, e também a capacidade de andar rápido. A aprovação desses dois quesitos e o aporte financeiro que seu retorno irá proporcionar ao time de Frank Williams foram suficientes para que seu nome fosse o escolhido.

A fase que se inicia agora é a de adaptação de Kubica ao novo regulamento, o que já teria se iniciado em simulador e terá continuidade com sua presença nos testes de pneus após  a prova de Abu Dhabi.

Sinais de alerta

Como pouco se sabe a respeito de que tipo de esforço Kubica foi submetido nas pistas húngara e inglesa, pairam dúvidas ainda sobre as reais condições físicas do devoto de João Paulo II. Quaisquer que sejam elas, porém, é quase uma certeza de que Kubica retornará com um petite insaciável, querendo mostrar ao mundo – e talvez a si mesmo – que veio para ficar.

Isso significa superar adversários, sendo o primeiro da lista o teammate Lance Stroll. Se esse confronto será pacífico, impossível dizer, mas não precisa ter bola de cristal para identificar o potencial inflamável desta parceira.

O retorno de Robert Kubica ao cockpit de um Fórmula 1 foi proporcionado pela Renault, em Valência, no dia 6 de junho deste ano (Fotos Renault Sports Media)
Compartilhar

3 COMENTÁRIOS

Muito obrigado por participar. Forte abraço, Americo Teixeira Jr.