Somente um piloto conseguiu fazer volta na casa de inacreditáveis 230 mph, justamente o Three Time Pole Winner Ed Carpenter

Por Américo Teixeira Junior

Penúltimo a entrar na pista pelo Fast Nine, Ed Carpenter garantiu uma primeira volta “impossível”; Helio Castroneves, o último da fila, não conseguiu impedir a terceira pole do norte-americano em Indianapolis (Foto Walt Kuhn/Indycar)

São diversos os exemplos no automobilismo onde a ousadia e a irresponsabilidade quase que se confundem, separadas por uma fronteira tênue o bastante para não ser percebida tão facilmente. É, como diz Helio Castroneves, uma briga entre a cabeça e o pé. A razão manda aliviar na tocada, mas o pé teima em não arredar um milímetro sequer. Uma manifestação bem clara dessa espécie de “batida no limitador” aconteceu ontem no Qualifying para a Indy 500, notadamente no Fast Nine.

A importância dessa prova centenária ficou estampada no desespero que tomou conta de James Hinchcliffe e Pipa Mann, alijados da prova no Bump Day, da mesma forma que no choro de James Davison, após se garantir entre os 33. É por esse motivo que os pilotos, quando envolvidos pelo clima do Indianapolis Motor Speedway, acabam por buscar aquele algo mais que aparentemente não mais existia, mas que estava escondido como uma espécie de reserva de sobrevivência.

Mais rápido no primeiro dia de classificação, Helio Castroneves perdeu a batalha por aquela que seria a sua quinta pole position em Indianapolis e largará em 8º em busca da quarta vitória na Indy 500 (Foto Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

Embora cada um dos 35 pilotos inscritos tenha suas histórias, tudo isso pode ser resumido na atuação do pole position Ed Carpenter. Para o Qualifying, os motores receberam uma dose extra de potência que, aliada à eliminação quase que completa da resistência oferecida pelas asas e a maior aderência pelo aumento de temperatura verificada no domingo, proporcionaram as maiores velocidades.

Em teoria isso tudo é um prato cheio, mas no conjunto de quatro voltas a coisa é bem diferente. Com o desgaste dos pneus e a tendência em sair de traseira, rodar em 228 mph já parecia o topo de performance. Aquela algo a mais poderia fazer chegar aos 229 mph. Mais do que isso, 230 mph, parecia impossível.

Só que Carpenter foi e cravou 230 na primeira volta e as demais em 229. Em que Carpenter é melhor do que os demais postulantes à pole? Aparentemente, nada. Apenas que, naquele período de pouco mais de dois minutos, cabeça e pé direito estavam com as relações completamente cortadas e o jovem team owner elevou ao grau máximo o “tudo ou nada”. Poderia ter perdido o carro e ido para o muro? Claramente. Sorte do agora três vezes pole em Indy 500? Não. Apenas a constatação de que a fronteira era um pouquinho de nada mais à frente.

De um lado, a barba já esbranquiçada de Tony Kanaan; de outro, os cabelos esvoaçantes de Matheus Leist. O resultado dessa parceria é o crescimento da AJ Foyt Racing e a dobradinha entre os mais rápidos do grupo 10-33 (Foto Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

O Grid da Indy 500

1. (20) Ed Carpenter, Chevrolet, 2:36.7818 (229.618 mph)
2. (22) Simon Pagenaud, Chevrolet, 2:37.3696 (228.761)
3. (12) Will Power, Chevrolet, 2:37.4757 (228.607)
4. (1) Josef Newgarden, Chevrolet, 2:37.6151 (228.405)
5. (18) Sebastien Bourdais, Honda, 2:37.7965 (228.142)
6. (21) Spencer Pigot, Chevrolet, 2:37.8208 (228.107)
7. (13) Danica Patrick, Chevrolet, 2:37.8326 (228.090)


8. (3) Helio Castroneves, Chevrolet, 2:37.9924 (227.859)  
9. (9) Scott Dixon, Honda, 2:38.4076 (227.262)  
10. (14) Tony Kanaan, Chevrolet, 2:38.1278 (227.664)  
11. (4) Matheus Leist, Chevrolet, 2:38.1922 (227.571)  
12. (98) Marco Andretti, Honda, 2:38.3894 (227.288)  
13. (19) Zachary Claman De Melo, Honda, 2:38.5908 (226.999)    
14. (28) Ryan Hunter-Reay, Honda, 2:38.7389 (226.788)  
15. (23) Charlie Kimball, Chevrolet, 2:38.8304 (226.657)  
16. (30) Takuma Sato, Honda, 2:38.9003 (226.557)  
17. (32) Kyle Kaiser, Chevrolet, 2:39.0119 (226.398)    
18. (6) Robert Wickens, Honda, 2:39.0835 (226.296)        
19. (33) James Davison, Chevrolet, 2:39.1128 (226.255)      
20. (59) Max Chilton, Chevrolet, 2:39.1430 (226.212) 
21. (29) Carlos Munoz, Honda, 2:39.2585 (226.048)  
22. (88) Gabby Chaves, Chevrolet, 2:39.2874 (226.007)     
23. (25) Stefan Wilson, Honda, 2:39.3889 (225.863)  
24. (24) Sage Karam, Chevrolet, 2:39.4171 (225.823) 
25. (26) Zach Veach, Honda, 2:39.4696 (225.748)  
26. (64) Oriol Servia, Honda, 2:39.5044 (225.699)    
27. (66) JR Hildebrand, Chevrolet, 2:39.7032 (225.418)  
28. (7) Jay Howard, Honda, 2:39.7245 (225.388)  
29. (10) Ed Jones, Honda, 2:39.7433 (225.362)     
30. (15) Graham Rahal, Honda, 2:39.7679 (225.327)    
31. (60) Jack Harvey, Honda, 2:39.8193 (225.254)  
32. (27) Alexander Rossi, Honda, 2:40.0462 (224.935)  
33. (17) Conor Daly, Honda, 2:40.4073 (224.429)  


ILUSTRAÇÕES INDYCAR
FOTO DESTAQUE/CAPA CHRIS OWENS/INDYCAR

Compartilhar

Muito obrigado por participar. Forte abraço, Americo Teixeira Jr.