O ex-promotor da Stock Car é o CEO da WSC Technology, empresa responsável pelo E-TCR

Américo Teixeira Junior

O Cupra E-Racer inaugura uma fase nova no automobilismo de competição para carros de Turismo (Foto Seat Media)

Nova categoria: E-TCR.

Nova marca: Cupra.

Novo carro: Cupra E-Racer.

Novo conceito: Campeonato de carros elétricos de Turismo.

Tudo isso será apresentado amanhã, 6, no Salão do Automóvel de Genebra e, dentre os líderes dessa empreitada, está o brasileiro Maurício Slaviero.

A atuação de Maurício Slaviero passa a ser em âmbito mundial e focada em avanços tecnológicos (Foto Duda Bairro/Vicar)

Diretor Geral da Vicar até 2016, Slaviero é o principal executivo da WSC Technology, empresa responsável pela promoção e organização do primeiro campeonato de carros elétricos de Turismo. Com operações a partir da Suíça, a empresa chefiada pelo ex-piloto de Fórmula 3 faz parte da World Sporting Consulting, sediada na Inglaterra, que gerencia o TCR em âmbito mundial.

O E-TCR é resultado de uma parceria entre a Seat, empresa espanhola que hoje faz parte do grupo Volkswagen, e a WSC. Nesse sentido, a Seat está lançando uma marca totalmente nova, a Cupra, que entra no mercado dos carros esportivos. Trata-se da primeira montadora a estar oficialmente no E-TCR, cuja primeira edição será disputada em 2019.

Slaviero explicou que o carro a ser apresentado nesta terça-feira não é um mero protótipo, mas sim o carro definitivo que já estará em testes de pista após o evento automotivo suíço. Será um período de aproximadamente cinco meses para coleta de dados, desenvolvimento do carro elétrico e testes de componentes.

Apesar do engajamento da Seat, não será um campeonato monomarca.

Temos acordo com outras montadoras que serão anunciadas, dentro da estratégia de cada uma delas, ainda nesse primeiro semestre”, revelou Slaviero.

Estima-se, porém, que elas já devam fazer parte do grupo de montadoras que participa dos campeonatos regulares do TCR, que envolve marcas como Alfa-Romeo, Audi, Ford, Honda, Hyundai, KIA, Lada, Opel, Peugeot, Renault, Subaru e Volkswagen, além da própria Seat, que agora passará a usar a marca Cupra.

O formato técnico para as duas primeiras temporadas será o mesmo, com as montadoras utilizando Kit Motriz comum em seus carros. Formado por motor, inversor e baterias, o kit já tem os seus fornecedores definidos, que também serão divulgados ao longo deste semestre. Já a partir do 2021, quando o certame partirá para a terceira temporada, o planejamento da WSC Technology é que cada montadora desenvolva seu próprio Kit Motriz.

No âmbito do campeonato, propriamente dito, a temporada de estreia terá entre seis e oito provas provavelmente na Europa, Estados Unidos e Ásia. Haverá um aumento paulatino de etapas, mas Slaviero anuncia que esse número não será superior a 10 corridas por ano. O Brasil não faz parte dos planos da empresa, pelo menos para as três ou quatro primeiras temporadas, já que o mercado de carros elétricos no país ainda é muito pequeno

Sob o ponto de vista profissional, o promotor comentou que é uma valiosa experiência poder participar desse momento do automobilismo, que classifica como uma “verdadeira revolução”, que terá impacto objetivo na vida do consumidor. “O carro elétrico é uma realidade e o carro que estará na pista será o mesmo que o consumidor terá disponível nas concessionárias”, previu. “Diferentemente do conceito da Fórmula E, o carro do E-TCR estará nas ruas em pouco tempo”, projetou Slaviero.

Compartilhar

Muito obrigado por participar. Forte abraço, Americo Teixeira Jr.