GP dos Estados Unidos 1975: Wilson Fittipaldi Jr. (30), com o Copersucar-Fittipaldi FD03 Cosworth, dá passagem, posto sua condição de retardatário, a Emerson Fittipaldi, com McLaren M23 Cosworth (Foto Peter Corrigan)
GP dos Estados Unidos 1975: Wilson Fittipaldi Jr. (30), com o Copersucar-Fittipaldi FD03 Cosworth, dá passagem, posto sua condição de retardatário, a Emerson Fittipaldi, com McLaren M23 Cosworth (Foto Peter Corrigan)

Naquele 5 de outubro de 1975, portanto há 34 anos, a temporada da Fórmula 1 era encerrada com o Grande Prêmio dos Estados Unidos, na pista de Watkins Glen. Fazia frio naquela cidade distante cerca de 500 km de New York, mas o fotógrafo norte-americano Peter Corrigan, apaixonado pela Fórmula 1, registrou a prova, produzindo imagens de grande importância história. Autorizado diretamente por Corrigan, o Diário Motorsport apresenta este trabalho com exclusividade para o Brasil. Estas e outras imagens do fotógrafo podem ser apreciadas aqui.

Num ano dominado pela Ferrari, o austríaco Niki Lauda já havia conquistado o título por antecipação na corrida anterior, justamente em Monza, chegando em 3º na vitória do companheiro de equipe, o suíço Clay Regazzoni, ambos com o modelo 312T. Mas foi justamente Regazzoni o protagonista do capítulo horrendo da etapa. Isso porque bloqueou de forma tão antidesportiva, durante a prova, o caminho de Emerson Fittipaldi, que com o McLaren M23 Cosworth fecharia o ano como vice-campeão, que a direção aplicou a punição máxima. Atribuiu-lhe a bandeira preta e Regazzoni, na época chefiado por Luca di Montezemolo, foi excluído da prova na 28ª volta.

Nessa fase da prova, Lauda já tinha disparado na frente e Emerson, mesmo assinalando a melhor volta (1min43s374), chegou em 2º com 4s9 atrás do austríaco, que liderou todas as 59 voltas da corrida após fazer a pole. Esta foi a última participação de Emerson pela McLaren, então sob o comando de Ted Meyer. Dias depois seria anunciada a sua transferência para a equipe Copersucar Fittipaldi. Para seu irmão, Wilsinho, a corrida foi a sua despedida da Fórmula 1 como piloto. Chegou em 10º com o FD03 Cosworth e, a partir de então, dedicar-se-ia exclusivamente à condição de chefe de equipe. José Carlos Pace, com o Brabham BT 44B Cosworth, abandonou na terceira volta, após um acidente entre ele e o francês Patrick Depailler, com Tyrrell 007 Cosworth.

O trabalho de Peter Corrigan, histórico por ser o registro de um automobilismo praticado há tanto tempo, pode ser conhecido no http://www.watkinsglenracephotos.com/, como as fotos que seguem:

Compartilhar

5 COMENTÁRIOS

  1. Junto-me aos comentários anteriores: como eram formosos os carros dessas temporadas de 1970 a 1980, principalmente esta McLaren M23, minha favorita. Os carros de hoje, inclusive os de rua, são HORRENDOS. Os carros de rua, acompanhando a tendência da maioria de seus donos, estão ficando cada vez mais “gordos”, horrorosos, patéticos, dirigindo lá em cima, parecem verdadeiros caminhões KKKKKKKKKKK. Meu filho de 18 anos dirigiu uma vez uma velha Puma e disse: “Isto é que é um carro não o XXXXXC … que parece um caminhão” KKKKKKKKKKKKKKKKKK

  2. Que saudades dessa época. Vemos com certeza que estamos ficando velhos.
    Muitos que estão nas fotos ja se foram, ou pela idadeou por acidentes trágicos.
    Saudades…quantas saudades.

  3. Cara..como eram lindos os carros..Um diferente do outro, não esta padronização de hj! Carros eram inguiáveis pelos padrões de hj. Lembro o q o christian disse qdo dirigiu o copersucar FD01 em Interlagos: Vcs eram loucos??? rsrsr ele sabia o quanto era difícil fazer aquelas máquinas andarem rápido! E os deuses faziam…
    ABraços e parabéns

Muito obrigado por participar. Forte abraço, Americo Teixeira Jr.