Prestes a ingressar na sua segunda aposentadoria na Fórmula 1, o vice-campeão mundial de 2008 considera ser possível ajudar o automobilismo brasileiro de outras maneiras que não como dono de categoria, como aconteceu no passado

Por Américo Teixeira Junior, de Interlagos

Apesar de ser um crítico ferrenho da CBA, Felipe Massa está disposto a ajudar a entidade (Fotos Williams F1 Media)

Embora não revele os valores, Felipe Massa se recente de tudo o que perdeu em tempo, dedicação e dinheiro quando lançou no Brasil a Fórmula Futuro. Por esse e outros motivos é que o piloto brasileiro é um ferrenho crítico da CBA. Mas ao ingressar nessa nova fase de aposentadoria, que classifica como “oficial e real”, o detentor de 11 vitórias na categoria está disposto para ajudar o automobilismo brasileiro, entretanto, exercendo outro papel.

Aos 35 anos, o vencedor do GP do Brasil em 2006 e 2008 não descarta a possibilidade de assumir alguma posição na FIA representando o Brasil. “Faria com prazer se tivesse a chance de fazer algo bom”, disse Massa, que admitiu que já houve conversas nesse sentido, “mas não tem nada certo”.

Prestes a completar sua 15ª temporada na Fórmula 1, Massa classificou o presidente da CBA, Waldner Bernardo, como “um dirigente novo com ideias mais modernas” e está disposto a ajudar, caso se sinta motivado pelos projetos.

O presidente da CBA, por seu turno, confirmou que tem mantido contatos com Massa sobre o automobilismo brasileiro e tem sentido a melhor receptividade possível. “Nós precisamos juntar forças para que tenhamos o automobilismo que queremos e o Felipe tem sido um interlocutor constante, pois sua experiência é muito valiosa”, disse Waldner Bernardo”.

Compartilhar

2 COMENTÁRIOS

  1. Americo

    O que acha mais importante para o Brasil, termos 2 ou 3 categorias mais baratas no padrão FFord, FChevrolet, com chassi ainda construidos de tubos ou uma FRenault já com chassi de fibra de carbono. Em todos os casos com motorização nacional para baratear ou termos uma F3 igual a européia, mas mais cara que as outras?

    Não seria mais interessante termos categorias de fórmula mais baratas e deixar a F3 para o cara já ir na Europa?

  2. Interessante que a atual gestão da CBA fez campanha ferrenha durante a última Assembleia da Codasur para emplacar o ex-presidente da CBA, o investigado (ou já conseguiram arquivar?) Cleyton Pinteiro, no Conselho Mundial da FIA. Interessante também a reação da mesa, que rechaçou a tentativa e deixou clara a intenção de indicar Felipe Massa para o cargo. Portanto, muito do que se diz publicamente, não se faz na prática, principalmente intramuros.

Muito obrigado por participar. Forte abraço, Americo Teixeira Jr.