Copa Truck estreia calendário de seis etapas divididas em três competições regionais

Por Américo Teixeira Jr.

Renato Martins, na foto com o piloto Felipe Giaffone, lidera a ANET e a criação da Copa Truck (Foto Orlei Silva)

Criada pela Associação Nacional de Equipes de Truck (ANET) e promovida por Sport Promotion Marketing Esportivo, a Copa Truck tem data marcada para começar. Será no dia 28 de maio, em Goiânia (GO), evento que abrirá a temporada de seis etapas. Por não se tratar de um campeonato brasileiro, a nova competição não é homologada pela CBA. Entretanto, segundo o presidente Waldner Bernardo, necessita que os regulamentos técnicos e esportivos sejam homologados e supervisionados pelas federações dos estados que fazem parte do calendário.

Após o rompimento com Dona Neusa Navarro, presidente da Fórmula Truck, várias equipes deixaram a categoria e fundaram a ANET, cujo presidente é o ex-piloto e atual chefe de equipe Renato Martins. A entidade tem como associadas as equipes RM Competições (Martins), AJ5 Sports (Adalberto Jardim), DF Motorsport (Djalma Fogaça), RVR Motorsports (Roberval Andrade), Dakar Motors, Fábio Fogaça Motorsports, Lucar Motorsports e Clay Truck Racing.

Não há, ainda, uma lista oficial de inscritos e, portanto, é apenas uma suposição imaginar que a Copa seja capaz de superar o grid de nove caminhões que a Fórmula Truck apresentou no Velopark, na abertura da temporada 2017. Entretanto, tomando-se como base o campeonato de 2016, as equipes agora associadas à ANET reúnem potencial para apresentar um grid em torno de 14 caminhões.

A Copa Truck terá três fases. A etapa goiana valerá pela primeira rodada da Copa Truck Centro-Oeste, que será completada em Campo Grande (MS), no dia 11 de junho. A Copa seguinte será a Nordeste, composta por Caruaru (PE, 09.07) e Eusébio (CE, 23.07). A conclusão desta primeira temporada ocorrerá no Sudeste, com corridas na mineira Curvelo (15/10) e em Interlagos, no dia 17 de dezembro.

A popular e carismática Débora Rodrigues é um dos principais nomes da Copa Truck (Foto www.rmcompeticoes.com.br)

 

Compartilhar

2 COMENTÁRIOS

  1. O Aurélio chora no céu com o destino da categoria que ele criou, eu espero que esses cabeças duras e a viúva do nosso saudoso Aurélio entrem em acordo e voltem a correr todos juntos o mais rápido possível.
    Os fãs ficarão sem ver as corridas na tv? Eu fiquei muito triste em ver o grid da Fórmula Truck esvaziado e ficarei mais triste ainda sem poder ver a Copa Truck na tv, será o começo do fim da corrida de caminhões no Brasil que já está na UTI a um passo da cova.

  2. Como já disse recentemente aqui mesmo, o automobilismo não vai bem no Brasil; isto já é de longa data. Entretanto, iniciativas como esta fazem a diferença.

    Dá dó toda e qualquer divisão, mas existiu responsabilidade das três partes envolvidas. Agora é apostar no futuro.
    Acredito e espero uma união futura, apesar da diversidade de objetivos.

    Havendo duas categorias, acompanharei as duas e torcerei pelo sucesso…de ambas.
    Afinal, o que importa é um automobilismo que satisfaça todos os envolvidos.

    Mário Pinheiro

Muito obrigado por participar. Forte abraço, Americo Teixeira Jr.